Para e-consumidores, lojas físicas servirão apenas como vitrines

Fonte: E-commerce Brasil |

Não há mais dúvida que o e-commerce é e sempre será uma poderosa forma de o comércio varejista alavancar suas vendas. No entanto, uma nova pesquisa divulgada pela Capgemini, em julho de 2012, mostra que esta popularidade já foi longe demais, pelo menos para alguns.

Mais da metade (51%) dos consumidores que realizam compras pela internet no mundo afirmam que até 2020 as lojas físicas se tornarão meras vitrines de produtos, servindo apenas para análise de mercadorias que comprarão posteriormente por vias on-line.

A pesquisa ouviu 16.000 e-consumidores localizados em 16 países ao redor do planeta, incluindo o Brasil, Estados Unidos, China, Alemanha, México, Rússia e Turquia.

Ainda assim, nem todos os resultados foram apocalípticos para o comércio físico, pelo menos se souberem adequar seus negócios às novas tecnologias. 56% dos consumidores afirmam que gastariam mais em estabelecimentos tradicionais se fosse possível pesquisar on-line no momento em que estão comprando. No entanto, 73% dos entrevistados acreditam que os sites de e-commerce possuem preços mais baixos que as lojas físicas.

Os estudo ainda destacou seis perfis de compradores que utilizam os canais digitais durante o processo de compra.

Social Shoppers (25% do total): a maioria desses consumidores possui menos de 35 anos, são heavy users de mídias sociais e gostam de compartilhar suas opiniões e experiências através da internet. Eles também usam com bastante frequência aplicativos móveis e confiam em aparelhos portáteis para realizar pagamentos e compartilhar sua localização.

Shopaholics (18% dos inquiridos): Os integrantes desse grupo são os primeiros a adotar e experimentar novidades, compram com maior frequência pela internet e usam ativamente aparelhos móveis (e aplicativos) dentro de lojas físicas. Embora os homens sejam mais ativos em compras on-line, as mulheres são mais interessadas em dialogar com as empresas.

Occasional Online Shoppers (16% dos entrevistados): 56% desses clientes possuem mais de 45 anos e raramente utilizam a internet com a finalidade de comércio. Quando compram, estes consumidores acessam a web principalmente para escolher e comparar produtos e monitorar a entrega das mercadorias.

Rational Online Shoppers (15% do total): Este tipo de comprador está atrás apenas dos Shopaholics em termos de frequência de compras on-line e a internet é o canal mais utilizado durante todo o processo de compra. Por outro lado, as mídias sociais e os aplicativos móveis despertam pouco interesse enquanto realizam atividades de comércio.

Value Seekers (13% da base de inquiridos): São maioria mulheres, sensíveis aos preços e possuem pouco interesse no e-commerce e no manuseio de novas tecnologias. Estes compradores utilizam a internet principalmente para encontrar ofertas atraentes de produtos que já são do seu interesse e conhecimento.

Techno-Shy Shoppers (13% do total): Estes consumidores não se sentem à vontade para utilizar a internet e os dispositivos móveis como parte de sua experiência de compra. Além disso, acreditam que estas ferramentas tenham pouca utilidade para esta finalidade. Seus integrantes são desde jovens a consumidores maduros.