Liderança que Vale a Pena

Autor: Flavio Tavares

Fonte: Linkedin / Pulse |

Muito se fala sobre as características que fazem um líder, e vivemos um tempo onde formar bons lideres nunca foi tão necessário.As empresas deixam de crescer por não conseguirem formar bons lideres.

Uma pesquisa da consultoria Mckinsey buscou encontrar os vinte mais importantes Comportamentos de Liderança. Entre eles, quatro se destacam por representarem 89% da eficácia da liderança. São eles:

1 - Dar apoio aos outros

2 - Operar com forte orientação a resultados.

3 - Buscar pontos de vista diferentes

4 - Resolver problemas de maneira eficaz.

Nossa cultura organizacional está muito voltada para os resultados e é justo que seja assim. Vivemos na era do capitalismo e as empresas precisam ser lucrativas, gerar riqueza. Você tem que ser o profissional que traz o resultado, se isso acontecer você será ouvido e conhecido, se não for assim, você será desconhecido.

As pessoas que se destacam, que são valorizadas por suas organizações são aquelas altamente produtivas e que geram resultados significativos.

Acontece que tem um comportamento que não tem sido observado nas lideranças de hoje, que é o comprometimento com o outro, que é a capacidade de enxergar além dos resultados e dos números. Temos a cada dia nos tornado mais um cifrão para as empresas e acabamos fazendo com que todos os nossos colaboradores também o sejam.

Jack Welch que ainda hoje é a maior referência de liderança que temos, diz que o que falta nos líderes de hoje é o “olho no olho”. Por conta da tecnologia, estando tornando as relações profissionais cada vez mais baseadas na comunicação por e-mails, mensagens e sistemas. Hoje, damos feedbacks por e-mail, corrigimos por e-mail, demitimos e contratamos por e-mail. Isso nos torna menos humanos nos nossos relacionamentos.

Estamos focados no resultado, mas sem a sensibilidade de olhar o outro. Jack Welch diz uma coisa interessante “se mais de 70% da nossa comunicação é a não verbal, como podemos ser eficientes nos relacionamentos enviando mensagens?”

Como podemos ter o comprometimento das pessoas com nossos propósitos, se nós mesmos acabamos nos comprometendo somente com números?

Tenho buscado aprender sobre a importância de me desconectar e me conectar com o que de fato é importante, mas vejo que preciso aprender mais sobre isso todos os dias, pois o mundo de hoje me faz estar permanentemente conectado a várias tecnologias.

Tive um café da manhã com um amigo que é hoje diretor de uma empresa ligada ao meu segmento, e no começo estávamos falando sobre nossas possibilidades de negócios, parcerias e como poderíamos gerar resultados para as nossas organizações, quando de repente eu parei e perguntei: "mas me diz uma coisa, como estão suas filhas? Você está feliz com o tempo que tem dedicado a elas?" E depois desta pergunta, ele abriu seu coração e falou durante mais de 40 minutos, principalmente sobre seus medos, ansiedades, receios e culpas que ele carrega por não conseguir administrar ainda bem suas prioridades. Ele me disse uma coisa que vale a pena repetir: "sou cobrado todos os dias por resultado, e trabalho para Isso, mas se eu pudesse escolher continuaria produtivo mas com um pouco mais de tempo para minha família."

Fiquei pensando, será que a empresa dele sabe que ele tem duas filhas lindas? Será que a empresa dele se preocupa com a qualidade de vida dele e com os projetos que ele tem sobre seu futuro, ou o que importa para ela é só o número que ele entrega. Infelizmente acho que ela como a maioria das empresas fica com a última opção.

E sabe o que é pior, é que ele de alguma forma acaba se tornando como sua empresa. Se eu perguntasse um pouco mais sobre seus colaboradores, sobre a vida deles, os sonhos que cada um tem, talvez ele não soubesse responder. Mas se eu perguntasse sobre os resultados de cada um, ele saberia com toda certeza.

Hoje são os sistemas que gerenciam todos os relacionamentos, e isso torna tudo cada vez mais frio na relação empresa x cliente. Lembro de uma vez de um pai, que estava no aeroporto querendo antecipar seu voo para ver seu filho que estava doente. Ele tinha sido internado e este pai estava muito apreensivo. Ele pedia no check in da GOL para que o ajudassem, e a resposta era; "Senhor, não podemos fazer nada para ajudá-lo, o SISTEMA não permite.". E ele ali, implorando, e os atendentes impassíveis mantendo sua postura insensível culpando o sistema. E tudo isso para que? Para que aquele pobre senhor pagasse mais de 1500 reais para alterar uma passagem e eles aumentassem seus lucros. Está certo isso? É desta forma que devemos alcançar resultados nas nossas empresas?

Olhar para o outro é formar novos lideres que poderão transformar uma geração. E fazer com que esta galera cheia de energia para produzir resultados, continue sendo altamente produtiva, mas com a diferença que haverá um propósito, um engajamento que o torna maior e mais importante do que seus números.

“Precisamos ter em mente que o que importa não é ser perfeito, mas sim estar progredindo” já dizia Peter Drucker sobre lideres sustentáveis.

Todos nós temos nossas metas para este ano, e iremos trabalhar arduamente para alcança-las, mas não podemos nos esquecer sobre quem queremos nos tornar após estas conquistas.Queremos ser lembrados pelos números que conquistamos ou pelo legado que deixamos?

Concordo com esta pesquisa, e acredito que estes 4 pontos são muito importantes no comportamento de um Líder, mas se ele não tiver propósitos, se ele não contagiar outros a olharem a liderança como um meio para transformar a vida das pessoas, e se não forem mais sensíveis com as pessoas que estão comprometidas com ele, certamente ele vai olhar para trás lá na frente e vai se perguntar: VALEU A PENA?

Temos que fazer valer a pena as oportunidades que temos, ajudando a formar novos lideres com propósitos. .

E para você, quais são as características que um líder deve ter?